Resenha: Bon Jovi leva 40 mil fãs ao êxtase em Porto Alegre

20 Sep 2017

Noite quente em Porto Alegre, ruas lotadas nos arredores do Beira-Rio aonde ao som da banda The Kills o clima era de muita nostalgia e hard rock. Às 21:30 desligaram as luzes do estádio que recebeu o grito de aproximadamente 40 mil fãs que vidravam seus olhares em um palco incrível com três telões anunciando uma noite inesquecível aos fãs de Bon Jovi que receberam pela primeira vez a banda na capital gaúcha!

 

 

NOTA DO AUTOR: Não foi permitido fotografar o show, nem produzir vídeos da barricada. O que além de ser estranho, por não deixarem promover a imagem do músico, ainda rolou muitos não credenciados entrando com equipamentos profissionais para fazer o mesmo e de forma errônea. Para nós da imprensa restou conferir o show, fazer o release e tentar captar imagens com Smartphone (vamos falar da nova TekPix?) . Vai entender não é mesmo? Segue o baile...

 

Com efeitos envolvendo a temática de seu mais novo disco “This House Is Not for Sale” Jon Bon Jovi pula no palco e leva seus parceiros de banda Tico Torres, David Bryan, o oficializado Hugh McDonald e Phil X (o substituto de Sambora), além dos músicos de apoio Everett Bradley e John Shanks para agitar uma noite repleta de clássicos em um set list pouco modificado, mas muito bem elaborado.

O show iniciou com a faixa título do novo álbum “This House Is Not for Sale” como vem sendo executada em todos os shows da turnê. Não demorou para encaixar “Raise Your Hands” que já remeteu os fãs aos clássicos deixando todos a vontade tanto no palco quanto na plateia que ainda fixava todas as lentes dos smartphones nos telões. Com uma pausa Jon troca algumas palavras de olá e parabeniza a linda cidade, estádio aos gaúchos entre caras e bocas para as mulheres, marca registrada do cantor aos seus 55 anos. Não demorou muito para que a farofa fosse preparada com muito carinho e rolaram as clássicas “You Give Love a Bad Name” e “Born to Be My Baby”.

 

Ao som das baquetas e acordes de violão a canção “Lost Highway” (do premiado disco na categoria country) é executada com certa dificuldade, já se nota um certo esforço de Jon com sua voz, mas com tudo bem estudado os fãs não se sentiram incomodados e ainda ganharam uma surpresa no Set List, em comparação com os últimos shows na América do Sul, levando “Because We Can”, a única que aparece do álbum “What About Now”. Para dar continuidade as surpresas, após as clássicas “I'll Sleep When I'm Dead” e “Runaway” veio “We Got It Going On” do album Lost Highway. Depois de muita energia, hora de acalmar com uma versão acústica de “Someday I'll Be Saturday Night” entoada pelos fãs que claramente viram a dificuldade do alcanço vocal de Jon. Se isso atrapalhou em algum momento? Claro que não, os fãs estavam ali para cantar junto, celebrar. Para continuar no clima romântico e nostálgico “Bed of Roses” foi aplaudida a cada solo marcante. Sem delongas “It's My Life” chegou pra colocar todos em êxtase em uma das canções mais conhecidas da banda aqui pelo Brasil e no Mundo. Para apresentar a banda Jon puxou “Who Says You Can't Go Home” e mostrou o quanto sua banda é respeitada pelos fãs, mesmo não tendo pilares que pareciam insubstituíveis.

 

Como o show vem para mostrar trabalho foi executada mais uma nova canção chamada “Roller coaster” do novo álbum muito bem recebido pelos fãs. Mas como todo bom fã de uma banda com mais de 200 milhões de discos vendidos, tem algumas que não podem faltar, e então começa uma enxurrada de hits quando o violão de Jon anuncia “Wanted Dead or Alive” e todo um clima paira sobre os fãs. Sinceramente, foi de arrepiar...Em meio a penumbra os teclados de David Bryan anunciam “Lay Your Hands on Me” e Jon chama todos a cantarem juntos com as mãos para cima. Logo surgem mais alguns hits como “Have a Nice Day” e com chocalhos em mãos e rebolado na cintura, “Keep the Faith”.

 

Mas o melhor estava por vir, quando ele resolve descer para cumprimentar os fãs da grade com “Bad Medicine”, aí realmente “a casa caiu”. Jon se mostrou mega tranquilo, trocou fotos, abraços, apertos de mãos, sem aquele medo internacional. Ainda puxou uma bandeira e agradeceu mais uma vez pela energia daquela noite memorável, as luzes se apagam e então mostra-se a reta final de um show absurdamente completo!

 

As luzes acendem ao som de Phil X, muito bem recebido em um improviso da banda tocando um olê olê olê” onde gaúchos trocavam o fim da frase por “inter” ou “Grêmio”, mais óbvio impossível. Jon chega ao palco e logo inicia dois clássicos “In These Arms” e “Blood on Blood”. Jon agradeceu pela noite maravilho, colocou o Brasil lá em cima e disse estar apaixonado por Porto Alegre e seu público inesquecível, e sentiu ser reciproco ao cair de joelhos agradecendo a noite fantástica, encerrando aquele momento com “Livin' on a Prayer” ao coro de um estádio lotado querendo que aquela noite nunca mais terminasse.

 

Ao fim junta-se a banda em agradecimento e nota-se um público de alma lavada, agradecimento no olhar e nos sorrisos que corriam de boca em boca pelo estádio. O Bon Jovi mostrou que o tempo é só um ingrediente que deixa a experiência ainda mais incrível e leva novas gerações a cantar junto hits de 30 anos atrás como se fosse escrito há seis meses. Isso é o poder que a boa música de Jon e sua trupe causam em cada um de seus fãs. E ao que tudo indica, tem muita estrada pela frente!

 

 

 

Set List:

1 – “This House Is Not for Sale”

2 – “Raise Your Hands”

3 – “Knockout”

4 – “You Give Love a Bad Name”

5 – “Born to Be My Baby”

6 – “Lost Highway”

7 – “Because We Can”

8 – “I'll Sleep When I'm Dead”

9 – “Runaway”

10 – “We Got It Going On”

11 – “Someday I'll Be Saturday Night”

12 – “Bed of Roses”

13 – “It's My Life”

14 – “Who Says You Can't Go Home”

15 – “Roller coaster”

16 – “Wanted Dead or Alive”

17 – “Lay Your Hands on Me”

18 – “Have a Nice Day”

19 – “Keep the Faith”

20 – “Bad Medicine”

Bis

21 – “In These Arms”

22 – “Blood on Blood”

23 – “Livin' on a Prayer”

 

Please reload

Posts Recentes
Please reload